PÍLULA DE RECOMEÇO: O EX E “A OUTRA”

Ele te deixou por outra e você não suporta a ideia de ter sido trocada. Vê fotos deles juntos e o buraco que abre no seu peito é tão grande que você cai dentro e não consegue sair. Buraco fundo, escuro, úmido, tem musgo nas paredes e suas lágrimas.

Lá está você, encolhida num canto, o choro ecoando e ninguém, nem uma alma penada, vem ao seu resgate. Ninguém te entende. Não é que você deseje a infelicidade dele (ah, tá bom, você deseja sim e isso é humano), é que ver outra no seu lugar, usufruindo os seus sonhos, de tudo o que você lutou pra construir para si, dói.

Mais que isso: corrói. Você ralou feito doida, esteve ao lado dele mais na tristeza do que na alegria, comeu o pão que o dito amassou, criou os filhos, fez a marmita nossa do dia a dia, abdicou de si tantas vezes que nem consegue contabilizar, teve tão poucos momentos de lazer que, estes sim, você conta nos dedos. E aí, pimba: ele cansa e vai embora. Viver com a outra a parte boa do que não viveu com você.

Certo? Errado.

Vamos descer da ilusão e aterrissar. Vidas não são perfeitas e, com certeza, a deles não é. No terreno sólido da realidade há contas pra pagar, filhos pra administrar, casa para limpar, cueca para lavar. Eles estão morando juntos? Ou ele assume essa parte. Ou ela.

Ele roncava antes? Pois continua a roncar. Era grosseiro, mau humorado, machista, ciumento, deixava a toalha molhada em cima da cama? Não pense que mudou da água pro vinho. Acredite, agora quem suporta o que você suportava é ela. Você passou o bastão da próxima vítima. Não há alegria (nem tristeza) que dure para sempre.

Ah, eles não uniram as escovas de dente? Significa que cada um tem a sua rotina (com certeza cansativa) e que se encontram para namorar. Que bom, né? Sinal que se permitem. Você devia fazer o mesmo no tempo que perde assistindo aos dois se divertirem. Desculpa a franqueza. Mas se ele pode, você também pode. Por que ainda não focou em si mesma?

Entenda: não existe mar de rosas, o que existe é início de relação, e nesse início só se mostra a parte boa. Ninguém peida, ninguém arrota, ninguém tem bafo. É tudo tão lindo e limpinho que quase dá pra emoldurar e colocar na parede.

Pétalas apodrecem em poucos dias. Para manter um mar de rosas é preciso cavocar a terra, plantar a semente, regar, cuidar, esperar brotar o caule, colher a flor, se ferir nos espinhos. E isso tudo você já fez. Será que ela vai ter paciência?

Veja bem, não estou dizendo que eles não possam ser felizes. Podem vir a ser. Mas, se forem, será por mérito deles, muita negociação, ajustes, privações, pia com louça suja, porque a vida a dois não é fácil pra ninguém.

Não é porque você ralou que agora ele, com “a outra”, vai só colher. Não! Ele, como você, está começando da estaca zero. E tem um longo caminho de aprendizados. A diferença é que ele está focado nele. E você, também.

Foque em você.

2 comentários em “PÍLULA DE RECOMEÇO: O EX E “A OUTRA””

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *