PÍLULA DE RECOMEÇO: IN NATURA

Toda mulher tem uma fêmea em si. Exuberante, vibrante, pura força, sabedoria e vigor. Nascemos com a máxima potencialidade para seduzir, reproduzir, sobreviver, manter uma prole. Para cuidar do nosso corpo, do nosso território, inspirar intuição, exalar AUTOCONFIANÇA. Plenas para amar e sermos amadas. E exercer com plenitude nossa sexualidade livres, faceiras, encantadoras, vivazes.

Ou, pelo menos, deveria ser assim.

Crescemos podadas. Ao longo da escalada rumo a melhor versão de nós mesmas, somos lapidadas, diminuídas, proibidas, machucadas. Rir alto? Não pode. Se tocar? Pervertida. Sentar de pernas abertas? Fecha já! Decote? Oferecida.

Se rebolar é isso, se usar roupa curta é aquilo, e assim vamos nós, passando de mãe pra filha todos os “não pode” do patriarcado. É tanto tabu e regra que me admira ainda não terem encapsulado e começado a vender “pílulas de boa moça” em farmácia.

Nossos odores pessoais são borrifados com colônias, cheiramos todas iguais. Padronizaram-nos de cima abaixo e passamos a vida tentando nos encaixar nos padrões impostos. Quem é você, IN NATURA? Quem sou eu? Quem podemos ser? Temos livre arbítrio para exercermos nossas versões mais genuínas?

A resposta é um redondo não.

Essa cobrança imensa piora quando entramos na arena do amor. Somada a toda lista de etiqueta que temos que incorporar para sermos aceitas socialmente, há o olhar do outro sobre nós. O olhar dele. E, muitas vezes, esse olhar é cruel.

Quem aqui já não ouviu do parceiro ou do ex que deveria emagrecer, aprender a cozinhar, que por conversar com alguém do sexo masculino você estaria “dando mole”?

São palavras que nos machucam e descaracterizam, e de tanto serem repetidas, tomamos como verdade. “Verdades” estas das quais riríamos se estivéssemos com nossa fêmea interior desperta, com nossa AUTOESTIMA em dia.

E é isso que o DESAFIO: TÔ NA PISTA faz, faz a gente rir das bobagens alheias e sair por aí livre, leve e solta, dona do nosso lindo nariz, entendendo que cada beleza é única, que é possível romper com velhos padrões de comportamento e que, ao nos conectarmos com nossa essência, nos tornamos MAGNÉTICAS: pura sedução!

Libertar-se de quem fomos para despertar quem somos! E o melhor: toda essa transformação é feita em conjunto com outras mulheres, numa grande rede de apoio e sororidade. É lindo de ver!

Acompanhe os DESAFIOS da FÓRMULA DO RECOMEÇO no Instagram @formuladorecomeco.

Um beijo e bom despertar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *