“CUIDADO: VINGANÇA PODE SER DESEJO”

Eu sei, traição dói. Dói ser trocada por outra pessoa. Dói ver os dois felizes, feito pombinhos arrulhando, e você com as migalhas na mão, jogando ao vento com aquela esperança, que você não admite nem a si mesma, de que, em breve, o encanto se desfará e seu bem vai voltar.

Não, você não quer aquela desgraça de volta nem pintada de ouro, diz às amigas, mas daria tudo para ver a criatura rastejando, olhos arrependidos, pedindo perdão. Só pra poder ficar junto mais uma vez. Então, será a sua vez de dar o fora. Ah, o doce amargo gosto do revide.

Não se iluda.

Seguir em frente é uma decisão. Você precisa decidir desapegar desse amor. Enquanto estiver abraçado às lembranças, estará à deriva em alto-mar. Ex é boia, não é terra firme.

Enquanto, no seu íntimo, nutrir essa esperança de vingança, o que está nutrindo, na verdade, é o reencontro. Para dar o revide do fora, precisará que haja um encontro. Pense se, na verdade, o que você não está querendo é isso: encontrá-lo mais uma vez.

Para o seu eu mais profundo admitir que deseja esse reencontro, só se faz possível se arranjar uma desculpa bem plausível. E qual essa desculpa? Ah, só gostaria de encontrá-lo para jogá-lo fora. Será? Será mesmo que é o Ego que está pedindo isso ao universo?

E se o universo te conceder esse desejo, será que não será sofrimento em dobro ter que jogar fora a pessoa que você (ainda) ama? Que preço vai custar essa “vingança”? Você vai despedaçar o seu amor, again. Pra que fazer isso com você mesma?

Vai por mim. Nutra a esperança de ser feliz. Apenas isso. Encerre esse capítulo dentro de você, perdoe o seu EGO. É a ele quem você deve perdoar. Pois que é ele, verdadeiramente, quem te massacra.

Seu amor já foi ali ser feliz. Seguiu em frente.

Faça o mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *